CONHEÇA OS 3 PRINCIPAIS PROBLEMAS CAUSADOS PELA FALTA DE TRATAMENTO DE EFLUENTES

28.maio.2018

A produção de efluentes líquidos é um problema de que as indústrias não conseguem escapar.

Efluentes, como já explicado em outro post desse blog, são resíduos domésticos ou industriais que são lançados no meio ambiente. Em escala industrial, os efluentes são os líquidos finais dos processos (lavagem de materiais, soluções químicas, material de desengraxe…). É importante salientar que cada indústria produz efluentes com características diferentes e, assim, precisam de diferentes tratamentos de efluentes.

O descarte final desse material é, geralmente, em corpos hídricos. Por isso, o efluente deve passar por um tratamento prévio, a fim de reduzir os parâmetros causadores de poluição.

 

1- Impacto ambiental

Diversas indústrias (como por exemplo químicas, têxteis, de combustíveis e até mesmo de alimentos) utilizam materiais orgânicos em seus processos. Isso pode acarretar em uma contaminação do solo e dos lençóis freáticos por resquícios de compostos orgânicos (pesticidas, fenóis, graxas, emulsificantes…).

Esses compostos orgânicos, se biodegradáveis, podem promover um aumento desenfreado de populações de microrganismos. Então, caso não sejam biodegradáveis, caracterizam substâncias bioacumuladoras, que podem causar sérios problemas de saúde. Além disso, a biota local fica exposta a níveis elevados de toxicidade.

Essas e outras indústrias que utilizem soluções salinas podem alterar o potencial químico do solo (impossibilitando o crescimento de vegetação). Similarmente, em águas subterrâneas, pode aumentar a possibilidade de desgastes e corrosões. Além disso, alguns efluentes podem apresentar compostos voláteis e consequentemente aumentar a emissão de poluentes atmosféricos.

2- Riscos à saúde

A exposição a metais pesados pode causar erupções na pele, irritação e corrosão do sistema digestivo. Além disso, esses elementos são capazes de desnaturar proteínas e desativar sítios ativos de diversas enzimas essenciais para a sobrevivência do organismo humano.  Além disso, os metais pesados têm alta capacidade genotóxica (são capazes de interagir com o DNA, com potencial mutagênico e carcinogênico).

Indústrias como a indústria têxtil, de tintas, cloro, plásticos, PVC e metalúrgica, por exemplo, utilizam metais pesados e podem gerar efluentes com essa característica.

Uma elevada carga orgânica também pode causar impactos à saúde humana. Pesticidas, substâncias fenólicas, corantes e graxas são altamente tóxicos. A presença de microrganismos provenientes de indústrias que utilizam processos de fermentação ou até mesmo o próprio efluente sanitário também pode causar doenças como amebíase, giardíase e disenteria.

 

3- Prejuízos ao empreendimento

As leis ambientais no Brasil são rígidas. A Ação Consultoria Ambiental trabalha sempre atendendo aos requisitos legais – atuando tanto com produtos biológicos que aceleram a biodegradação dos efluentes, quanto com processos físico-químicos. As sanções previstas em lei variam desde multas até a paralisação (temporária ou definitiva) das atividades do empreendimento.

A Lei 6.938/81 (conhecida como a Lei da Política Nacional do Meio Ambiente), no seu artigo 12, prevê que entidades e órgãos de financiamento possam impor sanção administrativa ou impedir participação em linhas de financiamento caso as regulamentações ambientais não estejam em dia.

Além desses empecilhos, a população em geral tem se preocupado cada vez mais com a sustentabilidade ambiental daquilo que consomem. Para isso é preciso investir em profissionais capacitados a identificar esses problemas, caracterizar e tratar os efluentes de maneira eficaz. Dessa maneira evita-se multas e minimiza-se o impacto ambiental de cada atividade ou empreendimento.

Entre em contato com a Ação Consultoria Ambiental através das nossas redes sociais, pelo telefone (41)3029-6798 ou mande um e-mail para comercial@acaoconsultoriaambiental.com.br