LIXO – Características e classificação

21.jun.2018

De modo geral, o lixo pode ser classificado de acordo com sua origem ou as características físicas e químicas dos materiais que o compõem.

 

Por exemplo, de acordo com as características físicas, podemos classificar em:

 

  • Secos: materiais como papéis, plásticos, vidros, madeiras, porcelana, cortiças, espumas, isopor…;
  • Molhados: restos de comida (inclui-se cascas e bagaços de frutas e verduras, alimentos estragados, etc.…)

A classificação de acordo com a composição química é a mais conhecida, e divide-se em “orgânico” e “inorgânico”.

 

  • Orgânicos: alguns exemplos são o pó de café, restos de alimentos, ossos e alimentos estragados;
  • Inorgânicos: são os produtos industrializados como plásticos, vidros, borracha, metais, tecidos e isopores.

Ainda é possível classificar o lixo a partir de sua origem.

Alguns exemplos são:

 

  • Domiciliar: todo o material proveniente da rotina diárias das residências. Inclui restos de alimentos, papel higiênico, jornais e revistas, garrafas. Pode conter resíduos tóxicos;
  • Hospitalar: São os materiais provenientes de farmácias, clínicas veterinárias, hospitais, postos de saúde, dentre outros. Alguns exemplos são: algodão, seringas, agulhas, remédios, luvas e aventais usados, sangue, órgãos e tecidos removidos. Em função de suas características – principalmente patológica – merece um tratamento diferenciado;
  • Industrial: aqueles provenientes das diversas atividades industriais (indústria metalúrgica, química, petroquímica, de papeis, de alimentos, etc). É uma classificação bastante variada, podendo conter cinzas, óleos e graxas, lodos, resíduos alcalinos ou ácidos, plásticos, papel e metal. Nesta categoria inclui-se grande quantidade de lixo tóxico, que deve ser devidamente tratado e direcionado;
  • Radioativo: materiais provenientes de atividade nuclear;
  • Agrícola: originado das atividades de agricultura e pecuária. Compreende embalagens de adubos (e principalmente de agrotóxicos), ração e restos de colheita contaminados por agrotóxicos.
  • Portos, aeroportos e terminais ferro e rodoviários: são resíduos que contém ou podem conter microrganismos patogênicos (por isso são chamados resíduos sépticos). São provenientes do material de higiene ou restos de alimentos dos passageiros, que podem conter agentes patogênicos provenientes de outras cidades, estados ou países.

 

Medidas a serem tomadas:

 

Adotar a reciclagem é uma prática produtiva e eficaz para diminuir os impactos causados pela geração de resíduos. Se no Brasil fossem recicladas todas as latas de aço consumidas, seria possível evitar a retirada de 900 mil toneladas de minério de ferro por ano. Isso é equivalente a uma economia igual ao consumo de 4 bilhões de lâmpadas de 60 Watts.

 

Outra medida importante a ser tomada cabe às indústrias e empreendimentos. Contratar uma empresa especializada para fazer o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) é imprescindível para que mantenhamos o meio ambiente com menos impactos negativos, fomentando o consumo consciente e responsável, diminuindo o consumo de materiais, trazendo além da diminuição de resíduos, economia.

 

A Ação Consultoria Ambiental está há mais de 13 anos no mercado e conta com uma equipe de profissionais altamente qualificados para garantir que o meio ambiente não seja prejudicado! Para saber mais entre em contato através do telefone (41)3029-6798, pelo e-mail comercial@acaoconsultoriaambiental.com.br ou pelas nossas redes sociais.